Exposição a Luz Azul

Com o desenvolvimento de novas tecnologias é normal Se dedicar muitas horas em frente a telas digitais, como computadores, tablets, laptops ou telefones para executar tarefas de trabalho. Em adição, em muitas ocasiões, após o final de um dia de trabalho, eles continuam a usar os aparelhos digitais por motivos pessoais ou de lazer. No entanto, sabe-se que o uso prolongado e inadequado de displays digitais pode produzir sintomas como: fadiga ocular ou secura ocular, visão borrada entre outros. Além disso, tem sido relatado que a luz azul visível emitida pelos aparelhos digitais, pelo de alta energia pode produzir alterações no visão 1. No entanto, displays digitais não são os únicos dispositivos que podem induzir alterações oculares por exposição excessiva à luz azul. Especificamente, foi relatado que os LEDs de luz branca (sigla para Light Emitting-Diode) de iluminação de rua que são usados para economizar energia, bem como luzes interiores, porque eles emitem luz potencialmente tóxica entre 415-455 nm também pode induzir alterações na visão (1,2).
 
DISTÚRBIOS NA VISÃO
 
A experiência clínica e científica determinou que quando são usados os displays digitais antes de dormir pode afetar as funções fisiológicas, alterando o ritmo circadiano e induzindo dificuldades de sono 3 . No entanto, embora a luz azul é necessária, a exposição pode não só induzir alterações no relógio biológico, mas também pode induzir lesões descritas fotorreceptores da retina 3 , ou melanoma uveal 4 , entre outros. Embora tenha sido descrito que a sobre-exposição à luz azul pode induzir alterações na visão, globo ocular tem mecanismos naturais para bloquear a exposição, tais como pigmento macular da retina e da lente. De facto, durante a formação da catarata, da lente adquire uma coloração amarelada blocos mais radiação azul, impedindo-o de atingir a retina. No entanto, quando o cristalino opaco é removido na cirurgia de catarata, se uma lente intra-ocular com um filtro de radiação ultravioleta só é implantado, a retina não está protegido contra a exposição à luz azul. Especificamente, as IOLs com filtro de luz azul implantados depois de remover a lente em cirurgia de catarata são uma alternativa para proteger a retina da exposição à luz azul.
 
ALTERNATIVAS PARA EVITAR EXPOSIÇÃO
 
Embora o globo ocular têm mecanismos naturais para proteger a luz azul, em pacientes com alterações na retina é prudente considerar uma série de alternativas para evitar a exposição. Em além de LIO com filtro de luz azul implantado em cirurgia de catarata ou cirurgia de lente transparente, atualmente não outras alternativas para evitar a exposição à luz azul de alta energia. Especificamente, eles desenvolveram lentes de contato, lentes oftálmicas e filtros de proteção para telas digitais que filtram a luz azul visível. Embora, não existe nenhum artigo na comunidade científica sobre se a luz azul é necessária ou deve ser bloqueado, especialmente em pacientes com a família ou com diagnóstico de doenças da retina, como a degeneração macular (AMD) e outras alterações no fundo do olho, mesmo assim, eles devem tomar precauções para reduzir a exposição à luz azul visível de alta energia. 
É conveniente trazer o conhecimento baseado na experiência clínica e os resultados da investigação científica internacional para os pacientes de clínicas oftalmológicas, hospitais e propriedades ópticas de uma forma inovadora de apresentar um relatório sobre as diferentes alternativas para proteger a visão.
 
PREVENÇÃO E TRATAMENTOS
 
Atualmente, alguns fabricantes de lentes ópticos oftálmicas, têm em seu portfólio de produtos, lentes com tratamentos para a proteção contra luz azul. Segue alguns exemplos:
Tratamento Crizal Prevência: valor a partir de R$ 349,00 (Fabricante Essilor)
Tratamento Blue Control: valor a partir de R$ 368,00 (Fabricante Hoya)
 
Referências
1. JB O'Hagan, Khazova M, Preço LL. lâmpadas de baixo consumo de luz, computadores, tablets e o perigo de luz azul. Eye (Lond). 2016 Feb; 30 (2): 230-3. 
2. Renard G, Leid J. Os perigos da luz azul: História verdadeira! sl: J Pe Ophthalmol. 2016 Maio; 39 (5): 483-8. 
3. Tosini G, Ferguson I, Tsubota K. Efeitos de luz azul sobre o sistema circadiano e fisiologia ocular. Mol Vis. 2016 24 de janeiro; 22: 61-72. 
4. Logan P, M Bernabeu, Ferreira A, Burnier MN Jr. evidência para o papel de azul claro no desenvolvimento de melanoma uveal. J Ophthalmol. 2015; 2015: 386.986. 
5. Downes SM. Ultravioleta ou azul-filtragem de lentes intra-oculares: qual é a evidência? Eye (Lond). 2016 Feb; 30 (2): 215-21.
 
Mais informações: www.consultoriavisual.com
 

LOCALIZAÇÃO

Rua Silva Bueno, 1365
04208-051 - São Paulo - SP

Veja como chegar

CONTATO

(11) 2914-5246

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Segunda à Sábado: 8h - 18h

Copyright 2013 - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Agência Canna